sábado, 5 de dezembro de 2015

Comemorando os 30 anos da E.M. PROF MARIA TEREZA RODRIGUES

Parabéns aos professores: Clener, Fabíola e Luis pelo excelente trabalho desenvolvido para criação do Novo Slogan da escola. Tivemos muitos desenhos legais e criativos e a votação foi a melhor decisão! A direção agradece pelo empenho e participação de todos!

E assim encerramos as atividades relacionadas aos 30 anos da escola com a 
Exposição e Apresentações dos alunos e professores!
















PROJETO 30 ANOS E.M. PROFª MARIA TEREZA RODRIGUES


"Quando o homem compreende a sua realidade, pode levantar hipóteses sobre o desafio dessa realidade e procurar soluções. Assim, pode transformá-la e o seu trabalho pode criar um mundo próprio, seu EU e as suas circunstâncias" 
Paulo Freire

          Os alunos do 4°A, B e C das Prof.ª Kelly, Gilmara e Nancy desenvolveram o Projeto de aniversário de 30 anos da E.M Maria Tereza Rodrigues  através de várias atividades com o objetivo de conhecer a escola e a região em que está inserida. O Projeto foi dividido em várias etapas em que os alunos puderam conhecer o histórico da escola desde a origem com a Profª Maria Tereza até a direção atual. 

Neste dia a aula foi dividida entre o estudo do histórico na sala de aula e o passeio nas ruas em torno da escola.
















quinta-feira, 12 de novembro de 2015

LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS EM AÇÃO


ANIMAIS COM HÁBITOS DIURNOS E NOTURNOS


A Prof.ª Kelly em parceria com a Prof.ª Cássia levaram os alunos do 3º ano G ao Laboratório de Ciências para observarem e interagirem com algumas espécies de animais estudadas em sala de aula.


Os animais com hábitos diurnos são aqueles que possuem dois tipos de fotorreceptores: os bastonetes e os cones. Esses animais conseguem projetar imagens com cores.

Os animais diurnos têm uma visão mais desenvolvida do que os animais de hábitos noturnos. Eles conseguem se locomover e caçar com mais facilidade durante o dia.

Muitos animais fazem parte desse grupo. As espécies diurnas estão adaptadas para realizarem suas atividades na luz do dia.

Um bom exemplo de animal diurno é o camaleão, que utiliza a luz do dia para se camuflar. Essa espécie costuma ser mais ativa no período da manhã e no final da tarde.







Os animais noturnos tem olhos que possuem apenas bastonetes – tipo de fotorreceptor da retina do globo ocular que são extremamente sensíveis à luz, aproveitando o máximo dela, mas não são capazes de distinguirem cores. 

Ao contrário dos animais noturnos, os animais diurnos possuem os dois tipos de fotorreceptores: os bastonetes e os cones. Esses últimos permitem as imagens projetadas de obterem cor, por isso, enquanto os animais diurnos obtêm as imagens coloridas, como os humanos, os animais noturnos não possuem essa visão.


                







EXPOSIÇÃO INTERATIVA SOBRE BIODIVERSIDADE BRASILEIRA


Alunos da EM Prof.ª Maria Tereza participaram da exposição interativa sobre biodiversidade brasileira promovida pela Fundação Grupo Boticário no Shopping Bosque dos Ipês


A exposição foi uma inciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e fez parte das comemorações de aniversário da ONG paranaense, que completou 25 anos em setembro. A atração foi totalmente gratuita e foi montada na Praça Central do Shopping Bosque dos Ipês.
Um novo olhar para a conservação

A atração que mais chamou a atenção dos visitantes na Conexão Estação Natureza foi o Cinema Sensorial 4D, no qual seis telas foram dispostas em 360º. Ao assistir um vídeo sobre a natureza do Brasil, os alunos receberam estímulos sensoriais, como frio, calor, vento e até mesmo chuva. Além disso, eles também foram estimulados com aromas que variam de acordo com os diversos ambientes naturais que aparecem na tela, em um vídeo de seis minutos em que ‘o tempo’ é o narrador.

Os alunos também tiveram a oportunidade de ‘viajar’ virtualmente por meio de óculos ‘rift’ para a Reserva Natural Salto Morato, unidade de conservação localizada no Paraná, dentro do maior trecho contínuo de Mata Atlântica do país.

Outra parte da exposição foi voltada para os jogos interativos que utilizam tecnologias inovadoras como a ‘kinect’, que permite às pessoas jogar sem o uso de controles em um game sobre serviços ambientais prestados pela natureza; e a ‘motion by hands’, em que os jogadores utilizam suas mãos em cima da tela, sem precisar tocá-la, para interagir nas diversas fases de um game sobre as mudanças climáticas.


Também foi desenvolvida uma espécie de enciclopédia das regiões naturais brasileiras, como a Amazônia, o Pantanal e o Pampa. Trata-se de um mapa ‘touch’, no qual os alunos puderam acessar informações sobre fauna, flora, características, aspectos culturais, grau de ameaça de espécies, entre outras, dessas regiões.
O Pantanal é o menor ambiente natural brasileiro, restrito ao Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, porém é uma das maiores extensões úmidas do planeta, além de ser muito rico em fauna e flora. Apesar disso, os sul-mato-grossenses dos grandes centros urbanos estão cada vez mais desconectados dessa biodiversidade local. Para mudar esse cenário, aproximando a natureza do dia a dia das pessoas foi criada a Conexão Estação Natureza, exposição interativa que une recursos tecnológicos e aprendizado sobre a biodiversidade brasileira.

Ensinando por pedaladas
Em um momento que o Brasil têm sentido efeitos das mudanças climáticas, como secas prolongadas, conscientizar sobre a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEEs), que são responsáveis pelo aumento do aquecimento global, é de extrema importância. Para isso, foi desenvolvida uma área na exposição na qual estão dispostas três bicicletas ligadas à reprodução em tamanho real de uma árvore de médio porte. Quando os visitantes pedalam, uma calculadora instantânea apresenta em tempo real informações de quanto se está economizando de combustível fóssil (gasolina, por exemplo) durante a pedalada, além da quantidade de GEEs que estão sendo deixados de emitir, entre outros dados.

Para a Prof.ª Márcia da Silva Teixeira, a interação dos alunos com a biodiversidade brasileira, de forma tão sensorial, incentiva a busca deles por conhecimento. " A exposição mostra aos alunos, aquilo que nós conseguimos apenas falar em sala de aula. É uma maneira prática de complementar nosso conteúdo, tirar os alunos de uma única realidade na qual ele vive, para conhecer tantas outras coisas que existem na natureza e principalmente qual o papel deles para garantir a conservação do planeta em que vivemos."

"A Conexão Estação Natureza foi pensada a fim de reconectarmos as pessoas à sua essência: ser parte da natureza, vivendo em equilíbrio com ela", explica Malu Nunes, diretora executiva da Fundação Grupo Boticário.






quinta-feira, 29 de outubro de 2015

MALA VIAJANTE - PROJETO LEITURA


Diante da preocupação com o desenvolvimento do conhecimento, justifica-se que indispensavelmente as práticas de leitura assumam desde cedo, ainda na infância, papel fundamental  na formação de futuros leitores.

O objetivo do Projeto Mala Viajante da Profª Nancy com os alunos do 4º ano C, assim, como em outras situações de leitura que ocorrem na escola é também, estimular a leitura de tal forma que seja algo prazeroso e não obrigatório, aguçar o imaginário e ampliar o vocabulário das crianças, integrando família e escola ao envolvê-las nas práticas de leitura.